domingo, 15 de fevereiro de 2015

Carta de Psiquiatra aos jovens sobre o filme '50 Tons de Cinza'


Não há nada de cinza em '50 Tons de Cinza'. É tudo preto.

Deixe-me explicar.

Eu ajudo pessoas que estão destruídas interiormente. Ao contrário de médicos que utilizam radiografias ou exames de sangue para determinar porque alguém está com dor, as feridas que me interessam estão ocultas. Faço perguntas e ouço atentamente as respostas. É assim que eu descubro como o(a) paciente na minha frente está "sangrando".

Anos de escuta atenta me ensinaram muito. Uma coisa que eu aprendi é que os jovens são totalmente confusos sobre o amor - na busca e na manutenção do mesmo. Eles fazem escolhas erradas, e acabam com muita dor.

Eu não quero que você sofra como as pessoas que vejo em meu escritório, por isso estou avisando sobre um novo filme chamado '50 Tons de Cinza'. Mesmo que você não assista o filme, sua mensagem tóxica está se infiltrando na nossa cultura, e poderia plantar ideias perigosas na sua cabeça.

'50 Tons de Cinza' está em cartaz no Dia dos Namorados (Valentine's Day americano, que é celebrado em 14 de fevereiro), então você vai achar que é um romance, mas não caia nessa. O filme é na verdade sobre uma relação doentia e perigosa, cheia de abuso físico e emocional. Parece glamouroso, porque os atores são lindos, têm carros caros e aviões, e Beyoncé está cantando. Você pode concluir que Christian e Ana são legais, e que seu relacionamento é aceitável.

Esteja alerta para não ser manipulado(a)! A equipe do filme só quer o seu dinheiro; eles não têm nenhuma preocupação sobre você e seus sonhos.

Abuso não é glamouroso ou legal. Nunca é aceitável, sob nenhuma circunstância.

Eis o que você precisa saber sobre "50 Tons de Cinza": quando criança, o protagonista Christian Grey foi terrivelmente negligenciado. Ele está confuso sobre o amor, porque nunca o experimentou de fato. Em sua mente, o amor está entrelaçado com maus sentimentos como dor e constrangimento. Christian gosta de machucar mulheres de formas bizarras. Anastasia é uma menina imatura que se apaixona pelo visual e pela riqueza de Christian, e como uma tola decide satisfazer seus desejos.

No mundo real, essa história teria um final trágico, com Christian na cadeia e Ana em um abrigo (para mulheres com histórico de violência) ou em um necrotério. Ou Christian continuaria batendo na Ana, e ela ficaria e sofreria. De qualquer maneira, as suas vidas definitivamente não seria um conto de fadas. Creia-me.

Como médica, eu estou pedindo: NÃO assista "50 Tons de Cinza". Cheque, apure os fatos e explique aos seus amigos porque eles também não deveriam assistir esse filme.

Aqui estão algumas das ideias perigosas promovidas por essa obra cinematográfica:

1. As meninas querem caras como o Christian, que se apoderam delas e se tornam violentos.

Não! Uma mulher psicologicamente saudável evita o sofrimento. Ela quer se sentir segura, respeitada e cuidada por um homem que ela pode confiar. Ela sonha com vestidos de casamento, não com algemas.


2. Os caras querem uma garota como Anastasia, que é fraca e insegura.

Errado. Um homem psicologicamente saudável quer uma mulher que saiba impor respeito. Se ele está fora de linha, ele quer que ela o corrija.


3. Anastasia é livre para consentir que a machuquem, então ninguém pode julgar sua decisão.

Lógica fraca. Claro, Anastasia tinha livre escolha - e ela escolheu mal. A decisão auto-destrutiva é uma decisão ruim.


4. Anastasia toma decisões relacionadas a Christian de forma consciente e imparcial.

Duvidoso. Christian constantemente supre Anastasia de álcool, prejudicando seu juízo. Além disso, Anastasia se torna sexualmente ativa com Christian - sua primeira experiência sempre - logo após conhecê-lo. A Neurociência sugere que, em razão disso, a intimidade deles daria o gatilho para os sentimentos de apego e confiança dela, antes mesmo que ela esteja segura que ele faça jus a essa situação. O sexo é uma experiência poderosa - principalmente pela primeira vez. Enfim, Christian induz Anastasia a assinar um acordo que a proíbe de contar a alguém que ele é um abusador de longa data.

Álcool, sexo, manipulação - dificilmente os ingredientes de uma decisão individual imparcial.


5. Os problemas emocionais de Christian são curados pelo amor de Anastasia.

Só em filme. No mundo real, Christian não mudaria para nenhum patamar realmente expressivo. Se Anastasia se sente realizada por ajudar pessoas emocionalmente perturbadas, ela deveria se tornar uma psiquiatra ou assistente social.


6. É bom experimentar coisas novas com a sexualidade.

Talvez para adultos em uma relação saudável, duradoura, comprometida e monogâmica, também conhecida como 'casamento'. De outra forma, você corre um alto risco de contrair doenças sexualmente transmissíveis, gravidez, e estupro. É sábio ter muita cautela em relação a quem está próximo(a) de você, física e emocionalmente, porque basta um encontro e você pode ficar fora de rumo e ter sua vida mudada para sempre.


A questão de fundo: as idéias de "50 Tons de Cinza" são perigosas, e induzem à confusão e a más decisões sobre o amor. Há uma grande distância entre relacionamentos saudáveis e doentios, mas o filme borra essas diferenças, de modo que você começa a se perguntar: o que é saudável em um relacionamento? O que está doentio? Há tantos tons de cinza ... Eu não tenho certeza.

Escute: é a sua segurança e o seu futuro que estão em jogo. Não há margem para dúvidas: uma relação íntima que inclui violência - consensual ou não - é completamente inaceitável.

Isso é preto e branco. Não existem tons de cinza aqui. Nem mesmo um.



A Dra. Miriam Grossman tem formação em pediatria, com especialidade em psiquiatria infantil, adolescente e adulta. Ela também é autora dos livros "Desprotegido" e "Você está ensinando meu filho O QUÊ?".
Website: www.miriamgrossmanmd.com

Traduzido do site Meg Meeker, M.D. por Karen Rachel.


Print or Generate PDF

27 comentários:

Anônimo disse...

Respeito totalmente a opinião e a médica em questão, mas será que repararam que 50 tons de cinza é um FILME, adaptado de um livro, e não baseado em fatos reais? Filmes e filmes já saíram em cartaz, trazendo as vezes relações muito mais doentias como exemplo do longa A pele em que habito, que inclusive é outra adaptação de livro! Garanto também que quando saiu Harry Potter, ninguém em sã consciência saiu por ai comprando vassouras achando que poderiam voar.. Claro que as fantasias do dito filme são muito mais viaveis ao publico, mas ainda assim, as pessoas tem que saber diferenciar a realidade dos filmes e livros.. Nao acho em momento algum o livro ou o filme manipulador, em momento algum eu vi ou li "FAÇA ISSO" ou "COMPRE AQUILO". Penso que tem muita polemica envolvida atoa nessa situação, é só um livro e um filme pessoal, como muitos outros que já foram divulgados!!

Karen Rachel disse...

Com certeza é só um filme, mas as ideias sugeridas são tão nocivas, principalmente às mulheres, que esse tipo de análise se faz mais que necessária.

marcia atik disse...

Apesar de estar no plano da licença artística esta sim intoxicando as mentes de mulheres frágeis ,inexperientes e desarmadas.Digo isso com a autoridade que me dou de terapeuta sexual e de conhecer muito bem os meandros da psico sexualidade feminina.

Anônimo disse...

Concordo!

Anônimo disse...

Concordo... Acredito que as pessoas saibam diferenciar o que é um livro e o que é vida real...

Anônimo disse...

Concordo com a Dra Miriam. Argumentos muito bons. Mas é pior para adolescentes que querem copiar tudo.

Anônimo disse...

Concordo plenamente com isso,ha muitos filmes que deixam a violencia explícita, enquant0 50 tons e um filme de romance feito com pessoas experientes e caso isso prejudique alguem com certeza esse alguem e mente fraca e q se ilude com personagens fictícios, acho q essa teoria não tem nada veer. ...PS:li todos os livros e adorei o filme, mais acho que se for pra alguem fazer algo basta ler o livro,não precisava fazer tanto drama só quando saiu o filme...palavras de uma fã de 50 tons kkkk

Laerte Leite disse...

Estamos vivendo um momento de hipnose coletiva para comprar e gozar. Muito livros e filmes vão atender este estado mental.

Néia Macedo disse...

Sim, é só um filme, adaptado de um livro (só literatura), contudo, há sim quem compre/possa comprar a ideia. Veja, a trilogia de Batman foram somente filmes, que infelizmente não impediu que um rapaz, nos EUA, entrasse numa sessão de cinema atirando em quem encontrasse e, após ser capturado pela polícia, dizer "Eu sou o Coringa". Pessoas em sã consciência conseguem filtrar melhor, porém essa capacidade não é inata a todos e a interferência da mídia (essa ovação toda) entorpece.
Desde os gregos antigos há crueldade na ficção, mas tenho notado pouca catarse nos últimos tempos.

Anônimo disse...

Tudo na vida deve ser com muito cuidado analisado. Filmes, séries, livros... passam idéias ditam moda comportamento. Quem tem cabeça feita não segue tudo o que vê mas tem gente que segue e isso é perigoso. O que ocupa a minha mente deve ser coisas boas. É preciso saber escolher o bem ou o mal?

Anônimo disse...

Pessoas adultas podem até ter consciência de que filme é só filme, o problema é quando adolescentes que na sua grande maioria são imaturos e facilmente manipulados por esse tipo de campanha, assim como foi com a famosa saga crepúsculo. Então não somente respeito como concordo com a opinião da profissional. Nós temos aceitado bastante lixo entrando em nossos lares, talvez seja o momento de avaliar melhor nossas escolhas.

Anônimo disse...

Acho que determinados tipos de filmes não deveriam sair no cinema, ou se saírem que seja em um cinema exclusivo para adultos acima de uma certa idade...

Janete Antonia Pellisson disse...

Acredito que a reflexão proposta pela doutora Miriam é bastante pertinente. Podemos ler de tudo e assistir de tudo, desde que tenhamos maturidade para entender as diferenças entre ficção e realidade. Trabalhando com jovens há tanto tempo, vejo que hoje muitos são facilmente manipulados porque não desenvolveram um senso crítico para fazer a leitura do mundo.

Anônimo disse...

Sim é só un filme,não é pra ser rel,não é verdade? Mas e aquele ator que matou a atriz á anos atrás? Era só uma novela,também não havia nada de real aquilo. Acho que agir com cautela e precaução, não é errado...

Anônimo disse...

Concordo que é uma ficção e que as pessoas (mentalmente maduras) não sairão por aí fazendo tudo que se vê. Mas o problema está nas adolescentes/jovens adultas, que concluíram o livro ou saíram da sala de cinema desejando um Grey pro resto da vida. E se o desejo for realmente intenso, é atrás de um Grey que essas adolescentes irão. Não somente adolescentes, uma mulher, como disse a doutora, que não seja psicologicamente saudável, também está perfeitamente sujeita.

Becc@ disse...

Discordo totalmente. Pais existem para orientar seus filhos e tem a função também de selecionar o tipo de produto que pode ou não ser consumido por eles. Se o cinema agora tornou-se o orientador oficial das mentes adolescentes, então precisamos abominar mais produções, como filmes de ação, terror, suspense ou qualquer um que envolva relaciomentos interpessoais que particularmente desprezamos. Uma pseudo-análise como essa é muito mais prejudicial às mulheres do que uma obra de ficção sem importância. Quando a psiquiatra idiotiza a mulher ao ponto de caracteriza-la como um ser não pensante, dominado por emoções "bobinhas de mulherzinha", as quais não consegue distanciar de um simples filme, então é o profissional que deve ser colocado sob suspeita. "Ela (a mulher) sonha com vestidos de casamento, não com algemas". Sei de mulheres que sonham com casamento, outras com uma carreira bem sucedida, outras com viajar o mundo sozinhas, e também daquelas que gostam muito de realizar seus fetiches e não deveriam ser condenadas por isso.

Anônimo disse...

Somente pessoas adultas e principalmente que são responsáveis pela educação de crianças e adolescentes é que entendem a Dra.
Querem q adolescentes entendam isso é perda de tempo

Anônimo disse...

É preciso ter visto o filme para poder opinar e para quem não assistiu existe uma coisa muito interessante no filme.. A Anastacia não aceita simplismente a obsessão de Gray muito pelo contrário ela nem assina o contrato e o abandona por conta de toda violência que ele usa.Ela curte algumas vezes a idéia do sadomasoquismo porém a todo tempo mostra que ela vive um conflito, pois quer um relacionamento normal e não embassado nas condições dele.Tanto que pelo menos nesse primeiro filme ela o abandona por não aceitar seu modo...
Aí que está, o que o filme induz? A ter opinião própria ??
Acho realmente equivocada as idéias de que meninas podem querer um homem como o Gray se nem a própria Ana sabe se quer...

Anônimo disse...

O filme foi péssimo! E os jovens hojes não são burros! Independente do filme, muitos tem liberdade de fazerem o que querem! Cabe a famíli dar a cada um, uma boa orientação, que eles seguirão se quiserem, não vai ser um livro ou filme que vão induzi-los a nada! Se for assim, acabrm com filmes de terror, suspense, policial e todos os outros!

Anônimo disse...

Bom, não assisti o filme e não li os livros, mas vocês podem procurar na internet e verificar a forma como o livro e o filme causa influência sobre as pessoas sim. É só você pesquisar na internet, como as vendas de produtos eróticos, muitos relacionados ao filme, aumentou depois do lançamento dos livros e do filme. Pode verificar em matérias publicadas recentemente, que até lojas de materiais de construção se especializaram em atender pessoas procurando por cordas, fita isolante e etc, materiais que o Mr. Grey, utiliza em suas perversas ações. Isso não é influenciar? Isto não é se deixar levar? Por favor amigos, não sejamos hipócritas, pois a hipocrisia é o mau maior desta nova geração, que não possui Deus em suas vidas, que não tem uma direção a seguir, ficam sem rumo e acabam "indo na onda" Sejamos sim realistas e que nossos olhos enxerguem a atual situação em que o mundo se encontra. Vivemos atualmente um mar de violência... As mulheres lutaram tanto em defesa de seus direitos, em um mundo machista, agora lança um livro e filme deste nível, que trata a mulher como objeto a ser usado, uma literatura horrível, e na maior ironia, a grande maioria de seus leitores são mulheres? Sinais do fim dos tempos? Acredito que não, é simplesmente falta de opinião própria e um rumo a seguir na vida.

Anônimo disse...

Tenho 25 anos e fui no cinema uma única vez ver um filme que chama "Planeta dos macacos". Não gosto de filme, talvez devido minha infância ( não tive TV em casa) De tanto as pessoas falarem do tal filme ATUAL, eu estou doida pra ver, mas lendo tudo isso, decidir não ir mais, pois mesmo sendo um filme... dificilmente algumas cenas serão esquecidas...

Luisa Cordeiro Almeida disse...

Abuso e violência são danosos.
Mulheres amadas são SEMPRE fortes e seguras.

Anônimo disse...

Infelizmente pessoas vivem confundindo a realidade com a ficção. Esse como vários outros filmes irão sim influênciar de forma negativa várias pessoas. Existem por aí muitos homens que já praticam esses atos e diversas mulheres submissas a eles, se o livro/filme irá influênciar o aumento de casos iguais ou relacionados com certeza, porque o povo adora seguir a "moda". Diversos casos de violências já foram reproduzidos das telonas por pessoas psicologicamente fracas, o mais perigoso é imaginarem que esse caso de amor é bom e infelizmente existem sim quem o tenha como completamente aceitável.

Fê Russo disse...

Perfeita sua colocação!

Anônimo disse...

A parte mais engraçada é chocante é "A equipe do filme só quer o seu dinheiro;" hahahaha até porque a maioria dos filmes não têm fins lucrativos, dinheiro para que ne?! --' cada besteira que se lê....Se for partir do ponto de raciocino presente no texto, não deveriam nem existir filmes fictícios...porque a forma como se descreve os telespectadores é muito decadente, subestima a mente das pessoas, classifica o público com uma mente extremamente fraca e influenciável, e isso deve servir pra tudo, não só para esse filme!

Karen Rachel disse...

Bem, a questão é que, de fato, há filmes que não visam somente o lucro, mas também passar mensagens edificantes, que inspiram as pessoas a viverem com mais harmonia e respeito. Porém, há filmes como esse, que disseminam ideias confusas e danosas sobre o amor, cuja meta não é educar, mas só lucrar.

Anônimo disse...

Acho que ela nem leu o livro, em nenhum momento ele obriga ela a fazer nada, sempre tudo e de acordo com o consentimento dela, e ela nao se apaixona pela riqueza dele. Isso é um livro, de uma relação apimentada. Ele foi maltratado quando criança, e se ela tbm não sabe a história é uma triologia, ainda faltam mais dois filmes, onde ana mostra que não ama pela riqueza e ele aprende que o amor pode ser puro e onde ele abandona os maus tratos, as praticas sexuais são para prazer de ambos. Mas doente que Christian é a pessoa que não entende que isso é um filme... E é bom entender da história antes de falar.

Postar um comentário

Comentário









Certidão Criminal Negativa
Dicionário Bab.La